terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Amnésia

Faz algum tempo que eu não tiro um tempo para escrever do tempo que eu tenho vivido.

Nada divide somando incoerências. Buscando mais, o sincronismo desalinha, descarrila.

Ouvi dizer: - Quanta maldade!!
Ouvi dizer de uma boca marcada de injustiça, ferida por seu próprio desgosto.

O ser humano esquece rápido de seu passado e seu presente é a própria cegueira, para destruir um futuro que nunca chegará.

Faz tempo que não espanto meus medos, que não descubro minhas vontades...

Faz tempo que algo dentro de mim não esquenta a ponto de ebulir...
O ser humano descobre o poder da destruição
assim
consegue dominar
e derrubar os sonhos
por míseros reais...

Faz tempo que não sei quem sou.

3 comentários:

Carol * disse...

Que bom te ver de volta Alexandre!
O engraçado é que nos perdemos e nos achamos tão rápido a ponto de nos perder novamente e novamente...
:D

Estava com saudades de ti já!
:*

Morena disse...

Ruim né? qdo a gt se perde em nós mesmos??

boa sorte!

Beijos saltitantes

Kari disse...

É tanta verdade que chega a doer.
Quantas vezes nos esqueçemos de quem somos, porque estamos tão ocupados em "ganhar a vida"...

Saudades de ti!
Beijão