terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Eucaliptos



Eucaliptos

E com o seu vestido em meus ombros
Parado no meio do piso de tábua corrida
Na varanda rústica,
Olhando a neblina entre árvores
Minhas botas sujas da lama de minhas aventuras
Não enxergo meu desalinho
E a cerração parece querer me absorver.
Bem em pé ao meu lado, meu arrependimento...
Acendendo mais um cigarro
Enchendo mais uma taça de desgosto.
E minha angústia balança na rede pendurada,
Sentada perto da infelicidade:
Eu tenho pavor de mim,
Abomino minha sobrevida.

A varanda parada e eu percorrendo o nada
Procurando o quê?
Já não mais coordeno meus gestos tolos
Infantis até,
Enquanto a floresta respira a neblina
E a esperança renasce com os raios que invadem
Os degraus.

Sem mais nada planejado
Vejo-a voltar entre o labirinto de troncos,
Acho que eucaliptos.
Minhas roupas desfiguradas não suportam a ausência,
E ela nem me olha.
Passa por cima e quase me pisa,
Entra chorando e quebra toda a sala.
Eu entro calado e redimido,
Ela chora sem ver que ainda estou
Ou será que ela que partiu?


(Hallais, Alexandre – Rio de janeiro, 04 de dezembro de 07)


Sinto incapacidade.

Mudanças?

Pouco de gripe...

Antitérmicos?

Não, obrigado...


Hoje usei tranqüilizantes...

14 comentários:

Uma Sobrevivente disse...

Oie amigo...

Obrigada pela visita!!!
Eu descobri que posso viver e ser finalmente feliz somente vivendo o hoje... Olhar cada dia começando como se fosse só ele e finalmente quando ele acabar, poder dizer que foram às 24 hs mais bem vividas
da minha vida, porque estive bem e feliz, ao lado de pessoas que me amam...

Querido,

Bjs

Janaína

Krika Muniz disse...

Meu amigo querido...

Palavras fortes, densas... sinto como se pudesse apalpar o momento... por um instante fiquei com o ar suspenso nos pulmões em quanto lia...
Que essa abundancia de idéias se prolonge por muito tempo e assim você nos brinde todos os dias com maravilhosos textos...

Beijos, mi amore!!!

Krika

Kari disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
coisas&letras disse...

OI lindo!

Adorei o seu comentário... já o reli imensas vezes por ser tão verdade o que disses-te, em relação aquilo que escrevi... que não é poesia... são mais desabafos...

Mais uma poesia brilhante... que se corresponder ao teu estado presente só te posso dar um abracinho e um beijinho virtual. Estou a passar uma fase que cabe bem nesta poesia... mas a força das pessoas que realmente estão dispostas a estar connosco aliada a força pessoal que se vai escavando sei lá de onde, faz-nos cá estar! E até já há dias que me sinto bem assim!

um beijo, um sorriso e um grande abraço da C&L :)

Micha Descontrolada disse...

hmmm arrependimento é ruim...faz se sentir péssimo mesmo...
eu tento não me arrepender, tirar proveito, um aprendizado de tdo..mas nem sempre é possível.

/(,")\\
./_\\. Beijossssssssss
_| |_.................

luma disse...

alexandre, espero que esteja melhor! Nossa, fiquei passada com o assalto! Esses malandros nem sempre precisam, a maioria das vezes o dinheiro é usado em drogas.
Vai rolar uma blogagem coletiva sobre internet e poesia. Vou me informar e lhe passo. É legal que participe!
Vim avisar que hoje paguei as minhas prendas lá no luz! Obrigada pelo elo da corrente da amizade!
Beijus

*¢£@üD!NhA''' disse...

Adoro a liberdade das fantasias condicionada nas palavras; e fazes isso bem, bem!

;*********

тαynαн disse...

oiii..Gosto do cheiro dos eucaliptos, seria interessante fechar os olhos e sentir apenas o cheiro deles.
O cheiro trará mais lembranças que o os seus olhos.. Ou faça da neblina um quadro branco e pinte com a lama de suas botas novas aventuras. Guarde o vestido dela, pois uma hora ela volta, mesmo sem ter partido.

Adorei o texto.
Tem uma coisa para você no meu blog.. e peço desculpas se não gostar.

Gripe é uma coisa chata, melhoras, viu?! [talvez nem sinta o cheiro do eucalipto por causa da gripe, qualquer coisa, deixe para depois..rs..]

No mais..
beijos

Morena disse...

Eu tbm to gripada...
Achei esse texto tão triste!!!

Alexandre!!! cada vez q vejo um novo recado seu mais gosto de ti! tanto carinho tanta dedicação!!!
Obrigada
Bom fim de semana
Bjoka

Kari disse...

Linda a poesia. Forte, porém muito bonita e tocante.

Fica bem, tá?
Um beijão,
Kari

carol disse...

ei alexandre, melancolia rende poesia. poesia de verdade.
gostei da maneira em que retrata toda a cena, é tão 'imaginável'.
sabe, acho os eucaliptos árvores malencólicas. sempre que viajo e na estrada topo com eucaliptos, me imagino em filmes de nuvens nubladas, ou então bruxas correndo em cavalos brancos.
acho que tudo tem um propósito, é claro, tudo tá escrito, tá interligado. e o que ocorre agora, passa rápido. e mesmo que o momento seja 'fossa', sinta-o e depois, bem depois, jogue-o fora.
vá morar longe dos maus pensamentos... ;D

adoro você.

;*

carol disse...

"Deixa transparecer fraqueza para renascer soberana..."

POETA! sempre aprendo um pouco mais contigo.

Menina Lunar disse...

Hallais!! Melhore viu??
Senão eu fico triste também.

=)

Presente ajuda?
Tem aqui na Lua pra você.
Vem buscar!!

Beijoooo ;*

Will disse...

Irmão, demais!! Forte e emocionante ao mesmo tempo...

Tá melhor? Abcs!!