quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Voltando ao Casulo: Existirá amor e orgulho



Elementos de um conjunto vazio


Molda
Meu corpo ao teu
E envie-me para teu esconderijo
Que combato tua anemia
Fornecendo minha carne para você
Saciar
A fome de mim.
Engula-me vivo que sobrevivo
Que estrebucho
Que emito radiação elétrica
O suficiente
Para você limpar a boca
E se jogar do alto de seu
Dilema...
Molda teus dias
Aos meus
Que te darei motivos extremos
Para você me dar o endereço do teu
Absolutismo.
Frente ao que há de
Limar as grades que te castam:
Melhor revirar sua vida para eu arrumar
O teu tempo; sincronismo.
Molda teu extrato que é agradável ao meu instinto
Em porções
Assim
Separo as diferenças...
Infecto teu corpo do meu,
Coagulo o que acha razoável
Mesmo sem perceber as mutações
Recolho os pedaços espalhados
Para recompor uma vida intacta.

(Rio, 12/12/07)


Para minha querida amiga Krika.

P.S. - Obrigado pelas mensagens de carinho. Saibam que, faltou-me ar, mas quando lembrei que vocês existem retornei... Obrigado pelo amor e o carinho. Nunca esquecerei de vocês.


P.S.2 - MENINA DE OURO é um dos meus filmes preferidos.

11 comentários:

Luciana * disse...

SURPRESA!
Voltei! Desculpe a demora, mas você foi citado no meu post de retorno, espero que gostes :D

Estou um pouco sem tempo agora, mas não pense duas vezes antes de responder para voltarmos às nossas conversas tão agraváveis.

A proposito, lindo texto. :) (sem novidades, ahaha)

Beijos poeta.

Magui disse...

Ontem vi o filme.Muito triste e dramático.
A poesia é muito egocêntrica. Desculpe. Para mim o amor nunca deve ser nesse nivel de exigência.

тαynαн disse...

Primeiramente... Peço desculpas por não ter comentado no post anterior... vida ta corrida, e o tempo acaba ficando sem tempo... e acabo me perdendo entre tantos ponteiros e responsabilidades.
Meus pêsames. Com toda certeza ele continua ao teu lado e daqui a um tempo, vocês se verão. Porque essa vida é apenas uma passagem. Fica a saudade e a aquela certeza de que o reencontro está próximo.

Sobre o texto... Gostei.
“Recolho os pedaços espalhados
Para recompor uma vida intacta”

Escrevi uma coisa parecida. Sem contar que parece que você está relatando sobre o momento que me encontro. Mas não seria necessariamente de moldes, mas peças diferentes que se encaixam perfeitamente...
Adorei.
[mas uma hora, teremos que nos moldar um pouco a medida do outro..]

Beijos..

Krika Muniz disse...

Querido...

O amor é sempre uma eterna reconstrução. Tenho que agradecer a sua amizade... o carinho e o amor com que sempre me trata... obrigado por ser essa pessoa maravilhosa e por ter entrado na minha vida... esse ano foi mais que especial pra mim por ter te conhecido...

Estou sempre aqui meu Anjo Escritor desse Casulo Maravilhoso... Conte sempre comigo...

Beijos...

Krika

*¢£@üD!NhA''' disse...

Hmmmm, belíssimo texto; meus adjetivos tabém se limitam quando a situação fica na qualidade sempre presente.
Gosto desse envolvimento metafórico sem a necessidade do lirismo, respirar é compôr as linhas d'outro corpo, d'alguma alma composta, fiana harmonia; entre desejo e sentimento... paradoxos são de sensibilidade extrema.

Me sinto lisonjeada com seus elogios, e saiba que os sinto tanto o mais por ti.

;)

Sobre seu avô, eu sinto profundamente pelo teu sentimento, e pelo meu de saber como é perder alguém próximo; perdi meu pai este ano, e não há nada que seja dito que supere tudo, que aconchegue algum conforto convincente. Tenho a lhe dar minha profunda vontade de lhe conceder forças para converter este fato, em superar e recriar essa presença nunca ausente em ti. Desejo, e disponibilizo-me ao que puder.

;**************** querido.

Tenha um ótimo final de semana.

Kari disse...

Alexandre, meu querido, não se desculpe por andar ausente, sei do que andas passando e jamais poderia te cobrar alguma coisa.

A poesia? Maravilhosa!!!!!!!

Fica bem, tá?
Um beijão,
Kari

Adriano Veríssimo disse...

Meu querido Hallais!!!

Sempre bom tê-lo em meu canto, e perdoe-me a ausência dentre esses tempos, é a correria de Sampa...rs

Linda poesia meu querido!

Forta abraço

Palavras de um mundo incerto disse...

fORÇA IRMÃO,
E Q HOMENAGEM LINDA. Muito melhor do que a "calçada da fama".

Lindo!!!!!!!


Com carinho!!!!!



Marcos Ster

Wolf_Angel disse...

Olá, achei-lhe nos comentários do retrato da nudez eólica e deparei-me com a nudez sólida em argila e emoção...
lindo texto, bela analogia, aconchegante espaço. Posso convidar-me para voltar mais vezes? e oferecer-lhe o meu espaço para visita?

sopros de luz!
bom findi!
=*

p.s.: menina de ouro é fantástico.

Menina Lunar disse...

Sempre que venho me surpreendo com a força dos teus versos, embora não deva, afinal, de um grande poeta, não se pode esperar nada a menos que uma grande poesia...

Alexandre!! Fico triste pelas notícias tristes. Mas me sinto feliz em pensar que vc vai saber superar toda dor, e, quando tudo passar, continuar teu caminho iluminando tudo. Viu? Fique bem!

Beijos e beijos
;*

Fernanda Alves. disse...

Molda-me aos seus desejos e esperanças...

achei demais, lindo seu blog!!!


bjo e mta inspiração