quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Introspecção



Apesar de ser
Eu
Descanso deitado
Entre
Minhas palavras.
A mudez colhida madura
Alimenta meu gosto de
Me perder
Deitado sobre o que ninguém quer ler.

5 comentários:

Krika Muniz disse...

Eu sempre quero ler... mais e mais sorver suas palavras... o abstrato me atrai... lembra as minhas pinturas favoritas... aliais meu querido sempre que venho aqui tenho boas e deliciosas impressões e lembranças... obrigado por sempre nos brindar com seus belos escritos...

Um grande beijo!!

Krika

Somente EU mesma disse...

Oie amigo...

Realmente o que escreveu é abstrato, mas quer dizer muita coisa!!!

Às vezes, eu também penso assim, fico um pouco confusa entre vários pensamentos e não os entendo de tantos conflitos internos que os confundem entre o que é certo e errado...

Bjs

Janaína

Palavras de um mundo incerto disse...

Irmão!
quando a gente não recebe nenhum comentário, nos sentimos mal, pois ninguém leu o que a gente escreveu. Nos sentimos mal e isso faz com que a gente procure leitores e que procuremos manter um contato. Mas o livro que estou lendo "Bom dia, angústia", do fiLósofo francês André Comnt-Sponville, passa muitas coisas sobre o que pensa, escreve. Não vou dar muitas pistas,pois se não vai perder a graça de ler esta adorável e sincera deste escritor. Ei, irmão, procure por este livro, ok?

Abs e bom rsto de domingo!!!


Marcos Ster

Kari disse...

Há dias eu venho aqui, olho essa foto e leio esse texto.
Há dias não sei o que comentar, mas hoje, por algum motivo sentir uma vontade enorme de comentar aqui.
Ás vezes temos tantas coisas a serem ditas. Tantas palavras, tantas frases, mas por algum motivo não conseguimos dizer ou escrever, preferimos nos guardar com essa mudez.
Mas a mudez um dia incomoda, e não importa se os outros estarão dispostos a ler o importante é "botar pra fora" tudo o que angustia, tudo o que dói, ou até tudo o que te deixa feliz...

Fica bem, tá?
Um beijão pra tu!

Eder Cruz disse...

adorei a tua reflexão.